14 set

Segundo as estatísticas do DPVAT – o seguro do trânsito- no primeiro semestre deste ano, foram pagas cerca de 450 indenizações por acidentes envolvendo crianças de zero a dez anos. Essas crianças, que eram transportadas dentro de automóveis, morreram ou ficaram inválidas em acidentes de trânsito no País. Mas, fora do carro o perigo é ainda maior: 1.045 crianças, nessa mesma faixa etária, receberam indenização por atropelamento durante os primeiros seis meses de 2010.

“Alta velocidade, imprudência, embriaguês lideram as causas deste tipo de acidente. Muitas crianças também se machucam quando o veículo está entrando ou saindo de uma vaga ou da garagem de casa. Esses acidentes ocorrem, porque o motorista não enxerga a criança que está atrás ou em volta do veículo,” explica p diretor-presidente da Seguradora Líder – DPVAT, Ricardo Xavier.

De acordo com o estudo da agência de transporte norte-americana – The National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), o uso correto de dispositivos de segurança em crianças podem reduzir 71% das fatalidades com bebês de até um ano, e em 54% na faixa de um a quatro anos.

Com a entrada da resolução do Contran que determina o uso obrigatório de equipamentos especiais, em automóveis, crianças até um ano de idade devem usar, obrigatoriamente, o dispositivo de retenção chamado de “bebê-conforto”, ou “conversível”. Crianças de mais de um ano e menos de quatro devem usar a cadeirinha. Se tiverem mais de quatro anos, porém não mais de sete, devem usar o dispositivo conhecido como “assento de elevação”. Entre os sete anos e meio e os dez, as crianças já podem usar o cinto de segurança do veículo, desde que tenham altura adequada para o ajuste correto.

Os cuidados com os filhos pequenos não terminam com a simples compra do equipamento de segurança. Ler o manual do fabricante é essencial para utilizar a cadeirinha corretamente e evitar acidentes com o mau uso. O Centro de Experimentação e Segurança Viária recomenda o uso de cadeirinhas que tenham o selo do Inmetro impresso na embalagem, que é uma certificação obrigatória. Outro cuidado importante é levar a criança na hora da compra para verificar se o produto é adequado ao seu peso, altura e idade, e se ela fica adequadamente fixada a ele.

Algumas dicas para evitar acidentes com crianças dentro ou fora do veículo:

Nunca deixe crianças sozinhas dentro do carro;

Veja se o dispositivo de segurança está sendo utilizado de acordo com as normas de segurança;

Olhe em volta do carro antes de ligá-lo e deixe as crianças aguardando em lugar seguro e visível;

Ensine as crianças para nunca brincarem dentro ou perto de veículos;

Não permita que brinquedos, como bicicletas, fiquem no caminho do estacionamento ou da garagem;

Tranque o carro quando não estiver usando para que as crianças não entrem sozinhas.

Fonte: Viver Seguro

Popularity: 1% [?]



About the Author: Garra Seguros
Especialista em seguros (31)4103-4652




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>