10 mar
Outra novidade foi que a receita apurada no ramo ultrapassou, pela primeira vez, o patamar de R$ 20 bilhões no ano passado, atingindo R$ 20,05 bilhões, com incremento de 15% em comparação a 2009.

Já a participação dos chamados seguros patrimoniais vem praticamente andando de lado nos últimos três anos. Era de 19,6% do total dos seguros gerais em 2008; passou para 19,7% no ano seguinte; e ficou em 20,7% em 2010.
Pior ainda tem sido a performance dos seguros de crédito cuja fatia na receita global dos seguros gerais caiu de 1,6% para 1,1% entre dezembro de 2008 e o mesmo mês, no ano passado.
O próprio peso dos seguros gerais no faturamento global do mercado vem sofrendo forte queda nos últimos anos. Primeiro caiu de 38% para 34,6% entre 2008 e 2009 e, depois, chegou a 33,9% no final de 2010.
Em contrapartida, a participação dos seguros de pessoas (incluindo o VGBL, que já responde por 70% da receita desse segmento) cresceu de 41,7% para 47,1% entre 2008 e 2010, enquanto a da previdência (PGBL e outros planos)  caiu de 9,7% para 8,4%.[2]
No mesmo período, o percentual referente ao setor de capitalização permaneceu em 10,6%.

Fonte: C.Q.C.S

Popularity: 1% [?]



About the Author: renato




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>