14 set

Para adquirir um seguro de automóvel o interessado deve contatar um corretor de seguro, profissional legalmente habilitado e capacitado para realizar a intermediação entre seguradoras e segurados. Essa é uma das “boas práticas” listadas no guia lançado, sexta-feira, pela Federação Nacional de Seguros Gerais (Fenseg), durante a 2ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros, realizada em São Paulo.

Segundo o presidente da entidade, Jayme Garfinkel, o Guia de Boas Práticas para o seguro automotivo, é uma importante ferramenta para aprimorar o seguro de automóveis e dar suporte à avaliação dos serviços disponíveis no mercado. “Um dos objetivos é ampliar a informação do consumidor que adquire seguros sobre seus direitos e sobre a responsabilidade das empresas”, explicou o executivo.

O Guia traz um capítulo exclusivo sobre as relações das seguradoras com os corretores.

Nesse capítulo, a Fenseg recomenda que, “visando estreitar o seu relacionamento com os corretores e contribuir para tornar cada vez mais profissional e transparente a intermediação na comercialização de seus produtos”, as  seguradoras devem desenvolver sua tecnologia, de modo a reduzir os custos de angariação dos seguros em benefício dos segurados; elaborar e praticar uma política de capacitação de corretores de seguros para a comercialização de produto, informando de forma clara, objetiva e completa todas as características,qualidades e destinação dos diversos seguros de automóvel disponíveis; e disponibilizar as respostas aos questionamentos dos corretores, no tempo mais curto possível, respeitado o prazo máximo de cinco dias úteis depois de recebido o questionamento.

Ainda de acordo com o guia, as respostas fornecidas aos corretores devem esclarecer a situação de dúvida do caso apresentado, sem se constituir, no entanto, compromisso com a aceitação ou com o pagamento do sinistro.

É sugerido ainda que seja informada ao corretor a importância da precisão de todos os dados reenchidos na proposta, os quais são fundamentais para definição do preço do seguro, em especial o Questionário de Avaliação de Risco.

Além disso, o guia recomenda que o corretor seja informado de todas as ocorrências relacionadas com os negócios dos segurados, tais como: sinistros (de modo que possa efetuar a gestão conjunta do sinistro, dando ciência e orientando sobre os procedimentos necessários); situação de pagamento das apólices, no intuito de evitar ou reduzir os cancelamentos por falta de pagamento; e comissões pagas e devidas por meio de extratos claros e concisos, entre outros.

Fonte: Fenseg

Popularity: 1% [?]



About the Author: Garra Seguros
Especialista em seguros (31)4103-4652




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>