4 abr

O mercado de seguros se beneficia com o crescimento do setor imobiliário. Com a alta no número de apartamentos e casas vendidos, aumenta também a procura pelo seguro condomínio. Ele funciona de maneira simples: protege contra alguns incidentes, mediante cobrança normalmente dividida entre os moradores.

De acordo com o Bradesco, que oferece o tipo de produto, as contratações subiram 20,3% em 2007. No caso do HSBC, o crescimento gira em torno de 6% ao ano. A demanda pelo tipo de seguro, no entanto, tende a aumentar, devido ao maior acesso da população à casa própria, incentivada pela concessão de crédito.

Por outro lado, o seguro não cresce a taxas tão altas porque tornou-se obrigatório desde 1964. “O síndico pode ser responsabilizado civilmente, se não o fizer”, explicou o diretor de ramos elementares e transportes da Porto Seguro, Adilson Neri Pereira.

Como funciona?

No caso do Bradesco, o seguro pode ser contratado por condomínios residenciais, comerciais ou mistos e cobre desastres naturais, danos elétricos, roubos, ruptura de tubulações, responsabilidade civil de síndico e outros.

Já no HSBC, as principais coberturas são para roubo de valores, desastres naturais (vendaval, raio e outros), quebra de vidros, etc. Além das coberturas para o condomínio, existem as que protegem os moradores: incêndio, furto qualificado, pagamento de aluguel e responsabilidade social.

Quanto custa?

As variáveis que podem influenciar o valor do seguro condomínio são a idade do conjunto de casas/apartamentos, o tipo de seguro (renovação ou novo) e de condomínio: residencial, escritórios ou consultório, além de comercial.

Para que o cliente tenha noção de preços, o Bradesco fez simulação com as seguintes coberturas: incêndio, queda de raio, explosões (de unidades autônomas ou não), responsabilidade civil do condomínio, danos elétricos, desastres naturais (vendaval, granizo etc) e roubo de bens. O valor para o condomínio vertical é de R$ 1.954,86 e sobe para R$ 2.384,38 para o condomínio horizontal.

No HSBC, a cobertura básica – danos elétricos, vidros/anúncios, responsabilidade civil de portões automáticos, condomínio, síndico e roubos – tem valor à vista de R$ 3.649,95 para condomínios horizontais de 20 casas. Para os verticais, no mesmo padrão, o custo é de R$ 2.986,45.

Os valores são diferenciados, mas é preciso analisar quais são as coberturas, garantias e franquias de cada seguro, bem como as necessidades do próprio condomínio. O valor pode parecer alto, mas é dividido entre os moradores, o que faz com que o total pago caia consideravelmente. O pagamento, normalmente, já é incluso no valor do condomínio.

Contratação Para quem tem seguro de condomínio, dependendo do caso, ainda é interessante ter o residencial. De uma maneira geral, como a cobertura condominial se refere apenas à parte externa do conjunto habitacional, é importante contratar uma apólice para garantir proteção aos bens que ficam dentro da casa. Por exemplo: danos em eletrodomésticos em caso de descarga elétrica, ou de roubo.

Dessa maneira, a parte externa fica protegida pelo seguro coletivo e a interna, por um próprio.

Fonte: InfoMoney

Popularity: 1% [?]



About the Author: Garra Seguros
Especialista em seguros (31)4103-4652




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>