25 jul

A Ação Ordinária que a AMO-RS impetrou em 17 de dezembro de 2008, contra a União, cujo

objetivo é comprovar os reajustes abusivos no Seguro Obrigatório teve mais uma decisão

judicial.

Preliminarmente, cabe relembrar que em Ação de Exibição de Documento (processo anterior a

Ação Ordinária) contra a União já tínhamos obtido êxito. A União e a SUSEP sonegaram

informações importantes sobre o calculo autoral sobre os reajustes.

Posteriormente, de posse destes poucos dados a AMO-RS ingressou com a Ação Ordinária, a

qual, a Justiça Federal da 4ª Região, julgou improcedentes nossos pleitos.

Não contente, a AMO-RS e o Escritório de Advocacia do Dr. Madeira, apresentaram a Apelação,

a qual teve resultado (recente, dia 30.06.2010) positivo e conforme decisão abaixo, nos foi

assegurado à nomeação perito para a produção de provas técnicas.

De acordo com Leandro Balardin, a AMO-RS, continuará brigando muito contra os reajustes

abusivos do Seguro Dpvat, pois desde que este processo está tramitando na justiça contra a

UNIÃO, os reajustes cessaram, o que serve com mais uma prova de que havia exageros por

parte da União, pois nossa classe, não contestava. Não obstante, discutir o cálculo autoral

na justiça, é a garantia de mais celeridade e transparência, coisa que não estávamos

conseguindo numa boa, resume Balardin.

A DECISÃO:

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL – DISPONIBILIZADO EM : 12/07/2010
PORTO ALEGRE
SEC. DA 4ª TURMA
BOLETIM 461/2010

00023 APELAÇÃO CÍVEL Nº 0031859-47.2008.404.7100/RS RELATORA : Des. Federal MARGA INGE

BARTH TESSLER APELANTE : ASSOCIAÇÃO DOS MOTOCICLISTAS DO RIO GRANDE DO SUL ADVOGADO : Luis

Gustavo Andrade Madeira APELANTE : UNIÃO FEDERAL ADVOGADO : Procuradoria-Regional da União

APELADO : (Os mesmos) EMENTA DIREITO PROCESSUAL CIVIL. SENTENÇA. CASSAÇÃO. CERCEAMENTO DE

DEFESA. PROVA. NECESSIDADE. PERTINÊNCIA. Evidenciadas a necessidade e a pertinência da

prova pericial técnica atempadamente requerida pela parte autora, merece ser cassada a

sentença que julgou antecipadamente o feito. ACÓRDÃO Vistos e relatados estes autos em que

são partes as acima indicadas, decide a Egrégia 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª

Região, por unanimidade, dar provimento ao recurso da autora, prejudicado o recurso da

União, nos termos do relatório, votos e notas taquigráficas que ficam fazendo parte

integrante do presente julgado. Porto Alegre, 30 de junho de 2010.

PROCESSOS DISPONIBILIZADOS = 0001

Os valores pagos para o seguro obrigatório de motocicletas teve os seguintes reajustes

abusivos:

em 2005, o valor de R$ 96,00;

em 2006 o valor aumentou para R$ 137,65, 43,4% de aumento;

em 2007 o valor subiu para R$ 183,84, 33% de aumento.

em 2008, atingiu incríveis R$ 254,67, ou 38% de aumento, cuja a soma total desde 2005,

chega a 265%;

em 2009, não ouve um reajuste e sim, foi criado um custo adicional de R$ 3,90 para emissão

da apólice, o valor pago pelo proprietário passou para R$ 259,04 (salienta-se que foi

exatamente no ano em que a AMO-RS ingressou em esta Ação).

O Processo pode ser acompanhado pelo seguinte nº. AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM

ORDINÁRIO) Nº 2008.71.00.031859-3 (RS) ? TRF 4º / POA-RS (Site:

http://www.trf4.jus.br/trf4/)

Fonte:Mundo Moto ,Fausto Macieira, 24/07/2010

http://www.mundomoto.esp.br/?p=2169

Popularity: 1% [?]



About the Author: Garra Seguros
Especialista em seguros (31)4103-4652




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>